quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A Beleza do Óbvio

Para muitos o óbvio "É", pura e simplesmente . Mas a verdade é que realmente a maioria das pessoas não conseguem enxergar um milímetro à frente do nariz, muito menos adentro. Não conseguimos nos ver com a clareza e objetividade, estamos às voltas com nossos sentimentos, necessidades, frustrações. Desta forma não valorizamos o que sentimos e o que realmente tem importância. Não conseguimos nos ver como de fato somos, e tenha a certeza que somos muito melhores do que conseguimos ver.
Rodeados de culpas, medos, inseguranças, pedindo aprovação daqueles que convivemos, e não conseguimos valorizar as virtudes. Quando conseguimos nos ver, o fazemos através da imagem destorcida da autoproteção,onde buscamos todas as respostas para atos e sentimentos.
O óbvio está contido nas mínimas experiências, nas entrelinhas de nossos gestos e atitudes, mas o hábito de vestir a máscara do "trabalho", a máscara da "boa esposa e bom marido", a máscara do "boa irmã"e  "bom amigo", e não nos revelamos de fato quem somos. Estamos acostumados a usá-las e já não conseguimos ver além do que fazemos acreditar.
Então eu te convido a dar  um tempo àquilo que entende por você mesmo e tirar férias. Como? Seja um espectador de suas atitudes, faça um troca-troca  entre o que você acha e o que você realmente entende.
Por alguns dias simplesmente tente ver-se como outra pessoa, analise seu comportamento, não tenha medo ou vergonha de ser e sentir. Não preicsa contar para nimguém, seja um voyeur de si mesmo.
Desnude-se, permita-se , sinta o seu corpo, sinta seu coração, escute o que ele lhe diz. Irá descobrir maravilhas na sutileza de ser você mesmo. Sentirá prazer e uma profunda paz de aprovação ao aceitar-se.
O óbvio é que não somos perfeitos, somos imortais, somos maravilhas com vários defeitinhos de "fabricação" devido e experiências anteriores não muito bem sucedidas,  esclarecidas ou compreendidas. Por isso é mais fácil não enxergar o que está o tempo todo conosco.