quarta-feira, 20 de junho de 2012

E aconteceu comigo, eu nem acreditei!

"Aceitar a sua doença, falar dela com naturalidade, entendê-la, estudá-la e conseguir perceber o quanto você tem sorte por ter trocado uma mama ou duas pela sua vida ao invés de se sentir mutilada, são as melhores armas para combater o câncer!"
Aline Lopes, uma guerreira que fez da dor um modo de ajudar às pessoas!
Tudo foi muito rápido, um belo dia descobri que, logo a mim, eu que batia no peito com tanto orgulho para dizer: Eu sou saudável! Nada me afeta! 
Minha caçada à "bruxa má" acaba de começar, mas as minhas divagações são enormes, e a necessidade de entender todos estes sentimento são maiores ainda. 
Fui diagnosticada com um câncer de mama  ao mesmo tempo que descobria a delícia de ser avó!  Mãe jovem, vovó jovem. O meu maior desespero: Prejudicar a felicidade de alguém tão especial, que vive  o momento mais maravilhoso e mágico de sua vida. 
 Dúvida: Contar ou seguir como se nada tivesse acontecendo, e  aproveitar a distancia  das cidades que vivemos ? E então? Como chegaria no "Chá de Bebê de meu netinho tão esperado, carequinha? 
Como não contar a sua única filha que travará a maior luta da vida?  Luta pela própria vida , e a luta contra a bendita vaidade. Como não dar a ela a oportunidade de entregar o seu amor mais puro e verdadeiro?
Mais uma vez optei pela sinceridade, e a recompensa, recebo todo o amor desta pessoa maravilhosa que só me orgulha a cada dia! 
Superado este impasse começam todas as outras questões. Entendi que a pior coisa da doença é simplesmente a fragilidade de ser humano.  E meu marido que é um homem sábio e sensato, companheiro de todas as horas, a quem o amor, carinho e dedicação tem sido fundamental para meu equilíbrio. Suas colocações ficam bombeando em minha mente, trazendo meus pés ao chão. Isso me traz segurança e perseverança. - " Não sei o que é pior, conviver com isso ou com a dor constante da úlcera?"   Analisar deste modo, é bem simples, exceto pelo fato de que o câncer se esconde, se disfarça entre nossas células boas, muitas vezes sem serem notadas, como este que foi identificado em mim. E claro podem até fazer um grande estrago.

Até aqui, ainda no começo da caminhada, o mais confuso é aceitar a fragilidade,a minha fragilidade. É encarar a vaidade,  as infinitas possibilidades, conviver com o "Se", pois ao que percebo, com este inimigo dissimulado, tudo é incerto....
As emoções giram em uma montanha russa, hora alegre e positiva, hora chorona e emotiva. O recado do Homenzinho lá de Cima chega: "Hora de pensar nos verdadeiros valores". Quais são as coisas realmente importantes, o que deveria realmente fazer. Penso em todas as pessoas queridas, que amo, que não consegui abraçar, não pude dar uma palavra de conforto, por estar longe, ou por estar ocupada demais com "outras coisas" ditas importantes.  Então eu penso como eu gostaria de abraçar a cada um deles , filha, marido, amigos, tios, tias, avós, e dizer o quanto são  importantes,  cada uma destas pessoas, para me transformar no que sou hoje. 
Aqui eu deixo uma declaração de amor a todos aqueles que fazem parte de minha vida, que eu desejo toda a felicidade para vocês, e agradeço por existirem em minha vida.
 E sim, claro agradeço a atenção,as rezas e os mimos. Rezem por mim, pois eu realmente quero viver momentos deliciosos e fantásticos com todos vocês. 
Minha luta começou e tem dia para terminar,mas meu amor e amizade são infinitos. 
Obrigada pelo carinho que recebo e as palavras de força e fé. Obrigada por estarem comigo cada dia!
Acho engraçado, sinto coceiras em várias partes do corpo, e na cabeça também, aí puxo o cabelo para saber se já começaram a cair, mas sei que ainda não é hora.....Claro que já comprei o primeiro chapeuzinho, pois comecei a quimioterapia e já estarei carequinha muito em breve... sei que vou ganhar lenços, muitos lenços e brincos irão permear minha vida, e fotos, mas como vou querer ficar com aquele "pega rapaz" que adoro, acho que vou colocar em um velcro e disfarçar nos lenços... portanto, não se espantem se me virem careca, nem façam cara de tristeza, comprei a luta e vou vencer a batalha, vencerei a guerra.  Sou eu mesma, e serei a "casa cheia que sempre fui".
Sinto muito medo da quimioterapia, mas até o momento, achei que pudesse ser pior,estou indo bem, e me sinto no lucro.  
Ainda não tive coragem de contar à minha mãe, ela ainda não sabe, quero poupá-la o máximo possível, como ela não tem acesso a internet, por favor, não contem nada. É um segredinho nosso.

Que Deus esteja com todos, e por favor,  AMIGAS SE TOQUEM!  Sintam seus seios, seu corpo, percebam as mudanças, vão ao médico, cuidem-se. 

Uma vida cheia de Luz e Esperança em todos nós!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário